sexta-feira, 26 de maio de 2006

Barreiras


Semana no ProPessoas, um projeto no SERPRO sobre desenvolvimento pessoal. Tema: Vencendo Barreiras

Eram dois ouvires amigos que resolveram caminhar juntos. Cada um deles carregava consigo tesouros valiosos para si, suas melhores obras e presentes que receberam de outros amigos ouvires. E no caminho havia uma subida. Uma subida bastante íngrime. Eles avaliaram se seria bom tentar subi-la e decidiram que sim. Mas a subida se tornou muito íngreme e eles resolveram pensar no que fazer.

Resolveram que não poderiam continuar a subir se algum peso não fosse deixado pra trás. Começaram então a avaliar que tesouros poderiam ser jogados fora. Com menos peso, continuaram a subir. Mas a subida se tornou cada vez mais difícil e cada vez mais peso precisava ser jogado fora.

Cada um tem seu limite, e um dos amigos resolveu que daquele peso ele não podia se desfazer. Era uma jóia não simplesmente valiosa: era a sua obra prima. A mais valiosa de todas as jóias. Então eles tentaram continuar com ela, mas não podiam. E começaram a se machucar por causa disso: haviam chegado ao limite. Uma decisão tinha que ser tomada.

"Não posso deixar isso pra trás."

E eles desceram a montanha, recolhendo suas coisas que deixaram no caminho. Às vezes um pegava alguma coisa do outro, e isso ficará de lembrança da boa caminhada. Ainda há o caminho de descida da montanha para uma última palavra, consertar as coisas que se quebraram enquanto caíam, entregar presentes que um havia feito para o outro durante a subida.

Cada pessoa tem um preço para cada assunto. Não se pode condenar alguém por se entregar mais fácil ou por resistir tanto. Alguém vai ter que ceder, às vezes todos os envolvidos.

3 comentários:

Dâmaris disse...

Se um dos amigos tivesse dito ao outro que a sua jóia mais preciosa tivesse sido deixada, com o tempo e no fim da subida ele seria capaz de fazer uma jóia mais perfeita do que a que ele tanto lutou para poder não se desfazer. O erro foi do amigo que não soube convencer o outro a continuar a subir. Na verdade o erro não foi de ninguém, por mais que ele tivesse tentado convencer o outro, se o mesmo não tivesse amor e confiança no amigo, teriam subido e feito as jóias mais lindas e perfeitas que o mundo já viu.
Com certeza na descida eles juntaram presentes de um para o outro. E esses presentes nunca serão esquecidos. Só poderiam ter sido muitos mais e mais lindos. "Eu poderia falar a lingua dos homens e a lingua dos anjos, mas sem amor eu nada seria". Foi o que acontecer. Os dois deixaram de crescer de maneira incontável pla falta de amor e de fé de um dos amigos. Eu tenho certeza que se fosse possivel ordenar ao coração que esse ame mais, o amigo teria conseguido terminar a subida. Muitos amigos conseguiram subir a montanha mesmo com todas essas jóias que o amigo tinha, eles se desfizeram delas e conseguiram jóias que nunca teriam conseguido se tivessem desistido.
Mas uma vez descida a montanha, não se pode mais subir. Os mesmos amigos não.
Mas um erro que não pode ser cometido é os dois amigos não quererem mais andar juntos no vale. A convivencia deles vai ajudá-los em novas subidas com outros amigos. Um vai lembrar o outro a não cometer os mesmos erros. Aí sim, serão verdadeiros amigos.

Dâmaris disse...

Ah, ja tinha esquecido. hehhehehe
Augenblick! minha vida mudou pra melhor depois que vc entrou nela. o augenblick mais rapido e inesquecivel que nem se quer pude imaginar acontecer comigo! era tudo tão parado e monótono. mesmo agora, ainda vejo as coisas mudarem em um augenblick. o melhor de todos foi o seu!^^
bjim.
e desculpa pelo "não" que eu esqueci de por em alguma parte de alguma frase do outro comentário. huahauhau

Mário disse...

Bem, só para constar que eu passei aqui. Não há muito o que comentar, só fica a torcida para os dois amigos.

Afinal, os dois amigos podem ter amigos em comum.