segunda-feira, 16 de março de 2009

Podcasts em capítulos

Quando o MundoTecno anunciou que lançaria um podcast e pediu sugestões, eu pensei: tenho que pedir capítulos.

Uso um iPod Suffle primeira geração (estilo bastão) e é terrivelmente chato quando por acidente o botão de próxima ou anterior é pressionado por acidente. Claro, a opção de bloquear as teclas está aí para isso, mas em podcasts temos aqueles momentos em que as pessoas falam baixo ou rápido, ou gritam, então é essencial controlar o volume do player.

A idéia dos capítulos era que o podcast tivesse um funcionamento parecido com o DVD. No caso citado, de pressionamento acidental de teclas, o tempo gasto escutando novamente ou procurando o ponto onde você estava escutando seria menor e o processo seria mais ágil. Outra forma de uso dos capítulos é quando os podcasters perdem o ritmo por um momento, ou para pular uma "zona de spoilers".

O aspecto principal é: arquivos mp3 não são feitos em capítulos. Parece que os aac podem ser, mas isto significaria que apenas iPods podem tocar podcasts com capítulos, o que não é interessante para a maioria deles (público menor, ou editar duas vezes).

Resolvi fazer um experimento de pegar um podcast e dividi-lo em capítulos. Usei o Vozes da Terceira Terra, episódio 19 para isso. Usei o Vozes porque ele publica os shownotes dos episódios, o que facilitaria na hora de dividir o arquivo em pedaços. Apenas usei o audacity para selecionar os trechos mostrados nos shownotes e exportar as seleções, nomeando sequencialmente de 1 a 18. Adicionalmente, criei no vlc um arquivo m3u contendo uma playlist com todos os capítulos.

Como uso apenas Linux, coloquei os arquivos no iPod usando o gtkpod. Ele listou os arquivos começando do 10 até o 18, e então começando do 1 ao 9. Questão de ordem alfabética, não me importei muito mas fiquei atento. Como desconfiei, eles foram salvos o iPod nesta sequência, o que resolvi mudando a numeração de 01 a 18 (colocando o zero nos algarismos menores que 10). Nesta segunda tentativa, a ordem saiu correta.

Esperimentando o arquivo m3u, o gtkpod o lê e adiciona ao iPod apenas os mp3 listados, o que dá no mesmo que adicionar todos os arquivos.

Como o iPod Shuffle não tem tela, trabalhar com vários arquivos às vezes requer algo de intuição. Já tive um mp3 player xingling e sei que não dá pra criar playlists nele, ou escolher uma ordem para as músicas tocarem. Talvez colocá-los todos numa pasta resolva. Mas sei que o gtkpod coloca juntos os arquivos que são adicionados ao mesmo tempo, no final da lista, o que deixa a tarefa de busca facilitada. O que descobri hoje é que ele adiciona os arquivos na sequência que ele os vê.

Talvez outros organizadores de iPods trabalhem diferente com arquivos m3u, mas eu não testei ainda. Talvez outros mp3 players tratem arquivos m3u diferente também, mas eu não tenho como testar isso.

Como sugestão aos podcasters, digo que experimentem e vejam o feedback de seus ouvintes. Podcasters que fazem uma edição mais light (sem muitos cortes, como o IDG Now! e o próprio Vozes) talvez tenham mais dificuldade em gerar estes capítulos, mas creio que aqueles que trabalham numa edição mais minuciosa (como o Nerdcast). Uma opção é publicar o mp3 normal como já é hoje e adicionar um zip contendo os capítulos mais um arquivo m3u.

Como sugestão aos ouvintes, experimentem fatiar seu podcast favorito em capítulos e façam o teste com e sem o m3u. E se gostarem, peçam ao seu podcaster que considere a possibilidade de fazer a edição em capítulos além da edição normal.

Atualizado: Conforme o Marcelo disse nos comentários, eu esqueci a questão dos feeds. Não entendo a fundo como funcionam os feeds de podcasts, mas creio que não há problemas em manter dois feeds, há? Um contendo o episódio normal e outro contendo o episódio divivido em capítulos. Aí realmente não sei o quanto seria trabalhoso manter este segundo feed.

terça-feira, 3 de março de 2009

TweetDeck: Exportando os grupos


Comecei há algum tempo a usar o TweetDeck para acompanhar o movimento na minha conta no Twitter. O TwitterFox já estava enchendo o saco, pois ele tira o foco da janela do Firefox e dá problemas com a opção "Selecionar janelas quando o mouse passar por cima delas" do Gnome. Eu não vivo sem esta opção e habilitava no Windows quando o usava.

Instalei o TweetDeck em casa e no trabalho, e logo notei que os grupos eram guardados localmente, e não em um servidor - constatação que me deixou tranquilo, pois este servidor seria um outro que não o do Twitter.

Mas então veio a dúvida. Como facilmente distribuir cerca de 90 contatos em 4 ou 5 grupos e repetir a configuração em casa e no trabalho? A intensão era não ter mais a coluna "All Friends", que mostra todos a quem sigo.

Então tentei encontrar onde o Adobe Air e o TweetDeck guardam suas informações, e encontrei o diretório .appdata (desculpe, não sei que diretório é no Windows, mas deve ser algum lugar dentro de c:\Documents and Settings. Ou não).

Copiei no pendrive e fiz alguns testes na outra instalação. Na maioria das vezes só conseguia pifar o aplicativo até que encontrei os arquivos no diretório /home/xisberto/.appdata/TweetDeckFast.F9107117265DB7542C1A806C8DB837742CE14C21.1/Local Store. (veja que há um ID aleatório aí, que pode ser diferente na sua máquina.)

Há dois arquivos neste diretório:
  • preferences_xisberto.xml
  • td_26_xisberto.db

O primeiro é um xml, texto puro, e guarda algumas informações da janela de configurações - como as cores da interface, o tipo de fonte, etc.

O segundo é um banco de dados sqlite que armazena os grupos, colunas e outras informações locais. É este arquivo que vai fazer você ter a mesma configuração de grupos e colunas do TweetDeck em dois locais diferentes.

De mallonga tempo mi komencis uzi TweetDeck-on por akompani mian konton en Twitter-o. TwitterFox-o jam malŝatis, ĉar ĝi ŝtelas la fokuson de Firefox kaj havas problemojn kun opcio de aŭtomate selekti fenestrojn, kiam la muskursoro pasas super ĝin.

Mi instalis TweetDeck-on en hejmo kaj en laboro, kaj tuj rimarkis, ke la grupoj estas konservitaj apud la kliento, ne la servilon - tio lasis min trankvila, ĉar tiu servilo estus alia el Twitter-o servilo.

Sed venis dubon. Kiel facile distribui ĉirkaŭ 90 kontaktojn inter 4 aŭ 5 ĝrupoj kaj ripeti la agordojn hejme kaj labore? Mi intencis ne plu havi la kolumnon "All Friends", kio montras ĉiujn, kiujn mi sekvas.

Do mi provis trovi kien Adobe Air-o kaj TweetDeck-o konservas iliajn informojn, kaj mi trovis la dosierujon .appdata (pardonu, mi ne scias kio dosierujo estas en Vindozo, eble io en c:\Documents and Settings. Aŭ ne).

Mi kopiis en poŝmemorilon kaj faris kelkajn testojn en la alia instalado. En multaj fojoj mi nur sukcesis pereigi la aplikaĵon, ĝis mi trovi la dosierujon /home/xisberto/.appdata/TweetDeckFast.F9107117265DB7542C1A806C8DB837742CE14C21.1/Local Store, kiu havas la sekvan dosierojn:
  • preferences_xisberto.xml
  • td_26_xisberto.db

La unua estas xml kaj konservas informojn pri agordo fenestro. La dua estas datumaro kio gardas la grupojn kaj aliajn klientajn informojn. Tio dosiero permesas, ke vi havas la samajn grupojn kaj kolumnojn en malsamaj instaladoj.

domingo, 1 de março de 2009

Vídeos do Seminário Internacional sobre Direito Autoral


Em novembro de 2008, foi realizado em Fortaleza uma edição do Seminário Internacional sobre Direito Autoral, e também do Fórum Nacional de Direito Autoral. Eu não participei muito, pois muitos dos bons debates ocorreram no horário comercial. Só pude ir a uma mesa.

Como me registrei como participante, recebi um e-mail informando sobre a disponibilidade dos vídeos das mesas, que se encontram na página do Ministério da Cultura.

Espero que as discussões sejam boas fontes de mudanças nas leis e no mercado.