domingo, 11 de setembro de 2005

Acaso e Destino

Bem, parece que agora está tudo nos trinques, vamos postar coisas melhores...

Depois de cada queda, a gente se levanta um pouco mais resistente. A gente avalia o que nos fez cair e descobre que não era tão trágico assim. Ou não.

De qualquer modo, ontem eu percebi como eu não sigo as coisas em que acredito. Pelo menos não sigo todas, ou parei de seguir algumas por um longo tempo. Uma dessas coisas é a minha definição de Acaso e Destino.

Não acredito em Acaso e Destino como forças sobrenaturais que movam as engrenagens do Universo, eles para mim são efeitos. Partes visíveis das coisas que acontecem ao nosso redor.

O Destino para mim é apenas uma representação das nossas preferências pessoais. Aquelas coisas que você nunca faria, ou que você faria são o seu Destino. Mesmo coisas que você nunca imaginou já estão descritas na sua personalidade. Você vai agir segundo seus princípios, isso é o seu Destino.

O Acaso é coisa mais profunda. Fruto de oscilações quânticas e outros eventos aleatórios que existem na natureza. Nada com o que se preocupar, ele não é sobrenatural, é apenas natural.
O impressionante é que eu sei que ninguém deve deixar de seguir seu Destino (sim, isso é uma opção). Acontece que podemos nos deparar com condições em que pensamos "eu mudei. Minha vida será diferente agora. Sou uma nova pessoa" sem que isso tenha acontecido realmente.

Para mudarmos, temos que alterar nosso Destino. Isso não é impossível ou difícil demais para um simples mortal, mas é necessário vontade. Temos que querer de verdade mudar. "Somos quem queremos ser" não é assim tão real. Nem sempre podemos querer alguma coisa. Melhor seria ter dito "Somos quem podemos ser" pois só queremos aquilo que podemos.

Muitas vezes pensamos que queremos algo novo em nossas vidas, mas é apenas ilusão, nós nunca mudaríamos para aceitar aquilo. Mesmo assim acreditamos que queremos mudar, sem podermos mudar. Vivemos a ilusão por um tempo e depois algo nos tira de lá. Pode ser algo vindo de nós ou vindo dos outros, mas a ilusão não dura para sempre, logos entendemos que aquilo não é o nosso Destino.

Nem é de todo ruim viver uma ilusão. Pode parecer vazio no final, mas se durante o meio ela for plena, então valeu a pena ter se desviado por um momento de seu Destino. Deixar o acaso lhe trazer de volta e entender que não deve ser doloroso é importante para entendermos quem somos.

3 comentários:

crew disse...

xis...intendi pouca coisa...os acentos naum tum funcionando n?
bjus

Xisberto disse...

Já consertei, Kel!

Isabel disse...

to passando.. rsrsrs.. bjs, xis!